RECADO PÓSTUMO

se perguntarem por mim, em meio à escuridão,
digam que fui caminhante das veredas ocultas,
um atordoado que abraçou as dores do mundo;

aquele que quis o Silêncio das insignificâncias,
que abraçou as almas sem pedir recompensas,
criatura que bebeu na placenta das Incertezas;

digam, sem receio, q’eu fui anêmona instável,
um espírito ancestral, girafa de duas cabeças:

não fui senão o menino frágil, quieto, recluso,
escritor incansável de um Poema Inconcluso…

Gabriel Cortilho

A %d blogueros les gusta esto: