Às margens do vento

Mukti Echwantono

saudade morava
às margens do vento
[assoprando as ondas
movimento] intento do mar
sem tempo breve.

ela bailava leve levando
alegria aos olhos dele
dele ela levava os medos
para ela ele era o avesso.

dispenso as próprias fraquezas
disposto a ser inteira entrega
econtro perfeito dos olhos que
se cansaram num simples brilho.

A %d blogueros les gusta esto: