O instante e o verbo

Anka Zhuravleva

como vultos de vãos
identidades tem dias
que o tempo não se anuncia
enroupado do intermitente
peso das nuvens

surda palavra na alma
muda alma na boca [corta
os lábios dilacerando a carne]

da desordem de um voo perdido
entre o instante e o verbo] como
o tecido estriado da pétala seca
infecunda de pele e de perfume.

A %d blogueros les gusta esto: